Quero ser grande

No jogo mais aguardado da primeira rodada do US Open, Andy Murray derrotou Nick Kyrgios por 3 sets a 1 (7-5, 6-3, 4-6, 6-1). O britânico, cabeça de chave nº 3, não foi consistente como vinha sendo em torneios recentes, mas venceu sem grandes sustos a jovem promessa australiana. Kyrgios, que tem chamado mais a atenção por sua postura polêmica do que pelo seu tênis, chegou a ameaçar Murray em alguns momentos, mas esbarrou na própria irregularidade.

Nick Kyrgios, of Australia, rests on his chair before the third set against Andy Murray, of Britain, during the first round of the U.S. Open tennis tournament in New York, Tuesday, Sept. 1, 2015. (AP Photo/Julio Cortez) ORG XMIT: NYJC122

A partida de ontem evidenciou novamente que Kyrgios é um dos mais talentosos tenistas surgidos nesta década. Com apenas 20 anos, ele tem desenvoltura pra trocar bolas de fundo de igual para igual com um jogador do nível de Andy Murray e, mais do que isso, pressionar o adversário com a potência de seus golpes. Justamente por sua grande capacidade, incomoda ainda mais a postura displicente que o australiano não faz questão nenhuma de esconder, seja em um smash executado sem ajustar o corpo ou literalmente tirando um cochilo no intervalo entre os games. Kyrgios deixa bem claro que sabe melhor do que ninguém da própria capacidade técnica. Sua postura infantil em muitos momentos joga contra ele, pois rende pontos de graça para o adversário. Em partidas como a de ontem, esse é um erro fatal.

É evidente que todo jovem passa por um processo de amadurecimento, que pode ser mais ou menos lento. Novak Djokovic, que atualmente reina no tênis masculino, tinha alguns momentos de infantilidade que custavam caro no início da carreira. Com o passar do tempo, o sérvio foi se mostrando cada vez mais focado, chegando a uma força mental poucas vezes vista na história do esporte. Mais importante que isso, Djokovic não deixou de lado sua irreverência, ele ainda fala sozinho em alguns momentos, sorri, chama a torcida. A irreverência também faz parte da personalidade de Nick Kyrgios, mas saber dosá-la será fundamental para que ele confirme as expectativas e chegue pelo menos ao top 10.

Além de controlar a própria irreverência, Nick Kyrgios tem de entender que jamais poderá repetir algo parecido com o que aconteceu na partida contra o suíço Stan Wawrinka no Masters 1000 de Montreal, quando ele falou em alto e bom som “Kokkinakis banged your girlfriend” (Kokkinakis transou com a sua namorada). No ápice da sua infantiliade, Kyrgios ultrapassou o limite do aceitável ao fazer um ataque pessoal ao adversário (e ainda envolveu seu compatriota Kokkinakis na “piada”). A ATP deu uma chance ao australiano, que será suspenso e multado caso volte a se ennvolver em polêmicas desse tipo.

No filme “Quero ser grande” (1988), Tom Hanks interpreta uma criança no corpo de um adulto. Nick Kyrgios tem tudo para ser grande, mas a criança que vive em sua cabeça precisa parar de atrapalhá-lo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Tênis e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s